Como evitar mau cheiro na região íntima da mulher: confira 6 dicas

0
1206

Alguns dos hábitos podem até mesmo alterar o pH da região íntima da mulher e não ajudam a evitar mau cheiro na região íntima

Mesmo que a parte íntima da mulher tenha seu odor natural, que frequentemente é suave, não sendo percebido e que pode sofrer mudanças dependendo da fase do ciclo menstrual da mulher, tem que se tomar certos cuidados para evitar mau cheiro na região íntima

Algumas coisas podem fazer com que a flora da região entre em desequilíbrios que causam mau odor.

Confira abaixo algumas dicas para evitar que a parte íntima da mulher fique com mau cheiro.

Como evitar mau cheiro na região íntima da mulher

Higiene excessiva

Higiene de fato é muito importante. No entanto, na região íntima da mulher as secreções e pelos ajudam na proteção contra o odor. Então tem que ter certa moderação.

Excessivamente pode fazer com que fungos e bactérias que ficam na região se espalhem, podendo causar doenças e mau cheiro.

Sabonete correto

O melhor sabonete para se fazer a higienização é o sabonete neutro. Os demais não são recomendados porque acabam limpando mais que o necessário. 

Como também podem conter certas substâncias que podem ocasionar irritações na parte íntima da mulher e causar mau odor.

Transpiração excessiva 

O excesso de suor na parte íntima pode ocasionar mau cheiro. Uma medida que pode ajudar a evitar esse tipo de situação é a troca frequente da roupa íntima e utilizar roupas de tecidos de algodão

Absorvente diário  

O uso do absorvente acaba por abafar a região íntima.

A melhor situação é usar na menstruação e escolher vestir calcinhas de algodão como dito anteriormente que ajudam a refrescar essa região.

Higiene insuficiente   

Da mesma forma que a higiene excessiva não é saudável, a falta dela também não é boa.

Não higienizar corretamente a região íntima pode fazer com que haja maior quantidade de suor e secreção, que além do mau cheiro, causa desconfortos como coceiras além de doenças.

Ducha durante o banho

Utilizar a ducha vaginal pode fazer alterações que não são saudáveis para a parte íntima da mulher. Além disso, também pode ocasionar microlesões na região. “A ducha tira o ambiente vaginal do seu equilíbrio. Ela muda o pH, danifica a mucosa e destrói a microbiota – ou flora normal, que é responsável por proteger a vagina contra infecções. Além disso, pode causar reações alérgicas locais, introduzir bactérias e outras substâncias lá dentro”, explica a ginecologista Fabiana Nakano da Medicina Reprodutiva Campinas.