Salada é um dos alimentos mais comuns na dieta mediterrânea. É uma boa maneira de acompanhar alguns pratos ou consumi-lo como prato principal. A alface tem propriedades medicinais que já eram usadas na Idade Média, como antioxidantes e fornece um grande número de vitaminas e minerais muito saudáveis.

Por esse motivo, neste artigo revisaremos a origem e a história e veremos as propriedades da alface e os tipos que podemos encontrar no mercado.

Origem e história da alface

A alface é um cultivo que a humanidade domesticou há muito tempo, de modo que a origem exata da alface não é bem definida. Há autores que afirmam que é proveniente da Índia, enquanto outros defendem regiões temperadas da Europa, Ásia e América do Norte.

A imprecisão que os botânicos têm sobre a origem da alface é devida à presença de Lactura scariola L. em muitas áreas do mundo.

Se os especialistas não concordaram, é porque essa espécie foi encontrada em estado selvagem na maioria das zonas temperadas do mundo. Lactuca scariola L. é um dos ancestrais comprovados das variedades atuais de alface. Isto porque as variedades de alface atualmente cultivadas são uma mistura entre diferentes espécies.

Sendo encontrada em estado selvagem em todo o mundo, é difícil determinar a origem exata da alface. O cultivo de alface remonta a 2500 anos. Era uma espécie de planta conhecida pelos persas, gregos e romanos. As primeiras alfaces das quais há referência são as de folhas soltas, embora também se saiba que as planas já eram conhecidas na Europa no século XVI. A teoria mais aceita indica que a alface foi domesticada no Oriente Médio a partir da espécie Lactuca serriola L. , e logo alcançou uma diversidade extraordinária. Os romanos deram muita importância ao seu cultivo, tanto que até hoje prevalece a chamado alface romana, de grande importância, embora não seja a espécie mais difundida.

Curiosamente, durante a Idade Média, o consumo de alface diminuiu consideravelmente. Naquela época, acreditava-se que, se ingerida em grandes quantidades ou com muita frequência, poderia prejudicar a visão; pelo menos é a explicação dada.

Os Estados Unidos não conheciam o cultivo de alface até o ano de 1494, quando Cristóvão Colombo o introduziu.

A palavra alface vem do latim lactuca, que por sua vez deriva de lac ou lactis, cuja tradução é leite ou laticínios.

Vale ressaltar que a alface é uma planta herbácea anual, típica de regiões semi-temperadas e cultivada em todo o mundo. Existem vários tipos que podem ser divididos em: romano, plano e folhas soltas. Existem muitas vantagens em cultivar esta espécie, como por exemplo, devido ao seu curto ciclo de crescimento e seu fácil manuseio.

Propriedades da alface

Diurética

A alface é um excelente diurético, ou seja, favorece a eliminação de líquidos. Isso se traduz em uma boa maneira de acabar com o acúmulo de líquidos e expulsar as toxinas que se acumulam no corpo. Além disso, essas propriedades medicinais da alface podem ser eficazes para estimular a eliminação da urina pelos rins nos casos de cálculos renais, insuficiência renal e cistite. Além disso, seus efeitos antioxidantes combatem os radicais livres no organismo.

As propriedades diuréticas da alface podem ajudar a perder peso, desde que uma dieta adequada seja realizada para esse fim e acompanhada de hábitos de vida saudáveis.

Vitaminas

Este vegetal verde contém vitaminas A, B, C, E e K e beta-carotenos. A vitamina K tem um papel primário no metabolismo ósseo, modificação de proteínas e coagulação sanguínea. Esta vitamina é composta de vitamina K1 e vitamina K2 e permite que o corpo tenha quantidades adequadas de cálcio nos ossos. Desta forma, é eficaz na prevenção da arteriosclerose. Por esse motivo, poderíamos dizer que a salada tem propriedades positivas para fortalecer os ossos. Por outro lado, a vitamina C é um antioxidante natural necessário para melhorar a imunidade contra agentes infecciosos. Além disso, a vitamina C pode melhorar a saúde da pele, pois impede a formação de rugas por estimular a produção de colágeno.

Minerais

Outros aspectos que caracterizam a alface, dotando-a de propriedades medicinais, são a concentração de minerais. Este vegetal é rico em enxofre, cobre, cobalto, cálcio, magnésio, zircônio e potássio. O ferro é o mineral por excelência responsável por intervir na formação de glóbulos vermelhos e na prevenção da anemia.

Betacaroteno

Outro componente que devemos destacar na salada é o beta-caroteno. É um antioxidante muito positivo para a saúde ocular. Este antioxidante pode impedir o envelhecimento prematuro da retina, para que você possa desfrutar de uma boa saúde ocular por mais tempo.

Tipos de alface

Atualmente, podemos encontrar diferentes tipos de alface no mercado, dentre os quais destacamos os seguintes:

Alface romana

É um dos tipos de alface mais antigos e mais consumidos, também conhecido como “orelha de burro”. É caracterizado por uma cabeça alongada e folhas grandes e grossas com uma costela central.

Alface iceberg

Outro dos tipos mais consumidos de alface. Podemos diferenciá-la porque tem uma forma muito redonda, com as folhas presas uma em cima da outra, como cebolas. No entanto, é uma das alfaces menos nutritivas que podemos encontrar atualmente.

Alface batávia

Cresce em climas úmidos e temperados e é curvada, com uma haste longa, cujo topo é aberto, apreciando as diferentes tonalidades. É uma das saladas mais saborosas que podemos encontrar entre todas as variedades disponíveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *