Os peixes são uma a das carnes mais saudáveis para de consumir, já que possuem pouquíssima gordura e os de água salgada, são ricos em omega 3, que é uma substância que ajuda a receber e multiplicar as moléculas de LDL – o colesterol bom, em nosso organismo.

Mas cuidado: é preciso prepará-lo também de forma saudável, pra que ele não perca seus nutrientes e não se torne uma proteína “gorda”.

A tabela nutricional dos peixes

O peixe é uma excelente alternativa para comer proteínas saudáveis, uma vez que possui uma quantidade menor de gorduras saturadas que a carne, até o peixe branco é considerado um alimento magro. Mas, além da proteína, este alimento nos fornece:
Um bom suprimento de ácidos graxos ômega 3 essenciais, especialmente contidos em peixes azuis, como sardinha, salmão, atum ou anchova. Isso ajuda a prevenir doenças cardíacas, fornece bom colesterol ao corpo e reduz a pressão alta.
Eles oferecem ao nosso corpo vitaminas A, D e vitaminas do grupo B, básicas para o bom funcionamento do corpo.

Eles também são uma fonte de cálcio, ferro, potássio, iodo, sódio e magnésio, minerais necessários para a boa saúde dos ossos e músculos.

É um alimento que deve ser adicionado à nossa dieta, preferindo comprá-lo fresco em vez de congelado ou embalado, o que garantirá o estado perfeito de suas propriedades. Também é importante prepará-lo de maneira saudável, por exemplo, grelhado, assado ou cozido, evitando preparações mais calóricas, como fritas ou amassadas.

Quanto peixe devo comer por semana? 

Sabemos que é benéfico para a nossa saúde, mas quanto peixe devo comer ao londo de uma semana? A recomendação dos especialistas em nutrição é comer 700 gramas de peixe semanalmente, o que equivale a entre 3 e 4 porções.

Dessa quantidade, recomenda-se que sejam 2 de peixes azuis e o restante de peixes brancos, porque, embora este último seja mais magro, a contribuição do ômega 3 e das vitaminas A e D presentes nas alternativas de peixes azuis é maior que o branco, portanto que é considerado mais nutritivo a esse respeito.

Cuidado com os peixes ricos em mercúrio!

Embora o peixe seja uma proteína ideal, deve-se tomar cuidado especial com os peixes que acumulam mais mercúrio em seu corpo. Esse metal pesado, se ingerido em grandes quantidades pode causar várias complicações cardíacas, afetando também os sistemas imunológico e reprodutivo. Além disso, é altamente prejudicial aos fetos durante a gravidez, razão pela qual seu consumo deve ser limitado, especialmente durante a gravidez.

Os peixes mais ricos em mercúrio são:
O imperador ou peixe-espada.
Atum rabilho.
O mero.
Robalo.

Recomenda-se comer essas opções muito ocasionalmente, preferindo peixes com baixo teor desse metal, como o pescado, sardinha, anchova, salmão, bacalhau, entre outros.

Algo em favor dos peixes e frutos do mar em geral é a sua aparente contribuição para a longevidade, o que se torna bastante evidente na sociedade japonesa onde tal consumo é bastante disseminado, além de outras práticas que contribuem para retardar o envelhecimento de nosso corpo.

Mas para uma orientação precisa, procure sempre seu nutricionista ou um médico endocrinologista de sua confiança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *